ArquivosCategorias: Mercado

28ago

Em comemoração aos 50 anos da TV Anhanguera e da Pesquisa Marplan foi realizado na manhã de ontem (26), um roadshow e lançamento do livro 50 Anos de Pesquisa Marplan.

Nossa equipe esteve presente e pôde conhecer a fundo os hábitos e desejos de um público com alto poder de compra: os consumidores acima de 50 anos. A palestra foi ministrada por Diego Oliveira – diretor Ipsos Marplan e idealizador do projeto – que afirma: “O livro vai além de mergulhar no universo de números e métricas, ele revela uma série de acontecimentos que marcaram o nosso país e o mundo, e nos traz percepções muito importantes”.

Ao final do evento, realizado no Salão do Grupo Jaime Câmara, recebemos um exemplar do título que com certeza será bastante cobiçado na Biblioteca Plus!

Compartilhe!

15mar

Conhecer todos os seus direitos é a melhor forma do consumidor se proteger.

O dia 15 de março foi criado justamente para lembrar que esses direitos existem e são reconhecidos pelo Código de Defesa do Consumidor.

Vamos aos números:

Em 2012, 2,03 milhões de consumidores foram atendidos nas unidades do Procon, distribuídos em 292 cidades do país. De acordo com o Sindec (Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor), essa quantidade representa um aumento de 19,7% em relação a 2011, quando 1,6 milhão de consumidores recorreram ao sistema. Isso mostra que os consumidores estão mais conscientes e  procurando mais os órgãos responsáveis para defender seus interesses.

Falando em consciência, os chamados “novos canais de atendimento” não podem estar de fora desta nossa conversa. Todo mundo conhece uma história ou tem um conhecido revoltado com alguma marca, produto ou serviço na internet. Aquele que criticava marcas nas redes sociais já foi sinônimo de ser apenas um chato reclamão. Hoje é uma alternativa para resolver.

O Procon ainda é o mais acionado pelos consumidores, porém a internet está sendo o grande canal das críticas, sugestões e tentativas de aproximação com as empresas.

Vender o peixe de forma responsável é uma lição para todos que trabalham com propaganda.

 

Compartilhe!

21dez

Aqui vai uma previsão para 2013: o marketing de experiência vai ultrapassar o “marketing do fazer o bem” para se tornar a grande novidade. Toda esta conversa sobre como a construção de marca é uma missão nobre encobre o propósito básico do marketing e também cria uma desconexão com o CEO. Pessoas não familiares ao tema que comparecessem às conferências da Associação Nacional de Anunciantes americanos nos últimos anos pensariam ter entrado acidentalmente em uma reunião evangélica, tão intenso era o fervor em “servir” o consumidor.

O problema com marketing do fazer o bem é que não faz nada para ajudar a marca a se tornar mais autêntica e relevante – além de fazer os consumidores se sentirem acolhidos e confortáveis.

O marketing de experiência, por outro lado, está calcado em ampliar a conexão direta entre o consumidor e a marca.

Continue Reading

Compartilhe!

30nov

Entrevista concedida ao portal Mundo do Marketing, Marcelo Neri: chefe do Centro de Políticas Sociais da FGV, Ph.D em Economia pela Universidade de Princeton, Mestre e Bacharel em Economia pela PUC-Rio. Suas principais áreas de trabalho são bem estar social, educação e avaliação de políticas públicas.

__

Muito já se falou sobre a Classe C, que traz ao Brasil um cenário cada dia mais otimista. Trata-se de uma população mais esclarecida, com um nível educacional mais alto e que vem mudando seus hábitos de consumo. Estudos apontam agora para um novo cenário brasileiro, com um crescimento de quase três vezes nas despesas com turismo diárias de hotéis e passagens aéreas.

As regiões Norte e Nordeste se mostram promissoras, com os maiores crescimentos de renda e uma grande concentração de Classe D que, em um curto período de tempo, migrará para a Classe C.

Este é o panorama apresentado por Marcelo Neri no livro A Nova Classe Média: O Lado Brilhante da Base da Pirâmide, lançado pela Editora Saraiva. Na obra, o autor traça um perfil de migração das classes sociais no Brasil, com uma população cada vez mais esclarecida, exigente e com renda cada dia maior.

Mundo do Marketing: Como as empresas entendem a Nova Classe Média?
Marcelo Neri: As empresas estão começando a entender mais e mais. É um fenômeno complexo cujo entendimento é recente. As estruturas da sociedade não são as mesmas. A desigualdade mudou. Quem está subindo na vida no Brasil são mulheres, negros, nordestinos, pessoas que vivem nas periferias, no campo. É preciso ter olhares novos. Não podemos nos guiar olhando pelo espelho retrovisor ou vamos sair da pista porque hoje em dia esse processo está bem desenvolvido.

Mundo do Marketing: O que se pode enxergar além dos números dessa Nova Classe Média?
Marcelo Neri: Ela é bastante heterogênea. São pessoas que subiram na vida e que esperam continuar subindo. É uma classe positiva com relação ao seu futuro, mais até que o futuro do próprio país. Ela dá uma nota muito alta para a sua vida nos últimos cinco anos: 8.6, é a maior nota do mundo.

Mundo do Marketing: Para onde essa Nova Classe Média vai? Quais são as tendências que estão emergindo?
Marcelo Neri: Ela está crescendo e exportando gente para a classe AB. Nossas projeções para os próximos três anos é que a classe AB cresça 29% e a C 11%. Já nos últimos oito anos a classe AB cresceu 54% e a C 46%. A AB já cresceu mais proporcionalmente. Daqui para frente vai ser 2,5 vezes mais rápido porque as pessoas já subiram. É crescimento sobre crescimento. Em 2014, mais de 74% da população brasileira nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste vão estar na classe ABC.

Continue Reading

Compartilhe!